Chapecó 100 anos - 03 Out 2017 14:32

Monumento do Centenário é pichado

Por: Nathan Favero Varela
 

O Monumento do Centenário de Chapecó, localizado no fim da avenida Getúlio Vargas, foi pichado. A estrutura homenageia três pioneiros da cidade de Chapeco: Aury Bodanese, Plínio de Nes e Ernesto Bertaso.

Em tinta vermelha, foi escrito “Devolva $ público”.

Existe vídeomonitoramento no local e as imagens já foram requisitadas. Os envolvidos já teriam sido identificados.

A Prefeitura de Chapecó, responsável pela escultura, ainda não se manifestou oficialmente, o que deve ocorrer ainda nesta terça-feira (3).

A OBRA

A decisão em edificar as estátuas do colonizador Ernesto Bertaso, do industriário Plinio de Nes e do cooperativista Aury Bodanese foi do próprio prefeito Luciano Buligon. “Homenagear e valorizar as pessoas será a marca do nosso Centenário, que não passará em vão”, disse ele.

O Monumento apresenta as três personalidades esculpidas em bronze, em tamanho natural, em um pedestal de três metros e meio de altura. O local escolhido foi o canteiro central do Loteamento Avenida, no bairro Bom Retino, proximidades da Praça Medellín.

O poder público edificou a obra por meio do Decreto Nº 34.234, de 31 de maio de 2017. A execução foi do artista Roberto da Silva Claussen, contratado, segundo a Prefeitura, por sua “notória e comprovada capacidade especializada, reconhecido e premiado internacionalmente”.

OS HOMENAGEADOS

As estátuas representam a trajetória do desenvolvimento de Chapecó: Ernesto Bertaso, em homenagem aos desbravadores, Plínio de Nes, ilustre representante da transformação do ciclo primário para o industrial e Aury Bodanese, personalidade que traduz o valor do cooperativismo.

MONUMENTO POLÊMICO

Desde o anúncio da obra, uma polêmica se estabeleceu em Chapecó. Houve manifestações contrárias e a favor, principalmente em redes sociais e na Câmara de Vereadores.

No dia 15 de setembro, uma decisão liminar da Justiça, através do juiz Selso de Oliveira, acatou pedido da 10ª Promotoria de Chapecó, que tem como titular a promotora Elaine Rita Auerbach, que em ação civil pública pediu a indisponibilidade de bens do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e outras três pessoas: Riquelmo Bedin Filho, Roberto da Silva Claussen (escultor) e Mário Márcio Monteiro da Silva, além da empresa 3MRC.

O valor do bloqueio, segundo a decisão, é de até R$ 990.000.

O fato é referente ao contrato para a elaboração do Monumento do Centenário, exposto no final da avenida Getúlio Vargas e inaugurado no último dia 25. O valor da obra foi de R$ 330.000.

Como é liminar, trata-se de uma decisão provisória.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Chapecó.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar