Chapecoense, Religião - 17 Out 2017 13:14

Irmã franciscana se emociona ao visitar local da queda do avião da Chapecoense

Por: Direto da Redação TSC
 
Irmã franciscana se emociona ao visitar local da queda do avião da Chapecoense (Foto: Arquivo Pessoal)

Rosangela Cenci, das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria Auxiliadora de Chapecó, está na Colômbia e visitou Cerro Gordo, em La Unión, local do acidente com o avião da Chapecoense em novembro de 2016. A missionária, que morou em Xanxerê por 12 anos e ainda realiza alguns trabalhos voluntários no município, conta que se emocionou ao conhecer o “Cerro da Chapecoense” e ao receber uma calorosa acolhida da comunidade e do jovem Johan Ramirez, a primeira pessoa a chegar até o local no dia da tragédia.

A visita ocorreu durante essa segunda-feira (16). A irmã está em uma viagem de estudos para o desenvolvimento de sua tese de doutorado em sociologia, na qual vai até as casas de Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria Auxiliadora. Ao encontrar as irmãs da Província de Medellín, foi acompanhada por elas – inclusive pela madre superiora da instituição da Colômbia - até o local do acidente.

- Estando aqui eu não poderia deixar de ir para lá. Do aeroporto são cinco minutos, mas da casa das irmãs dá cerca de duas horas. É muito longe, local de difícil acesso, montanhoso. Foi um passeio emocionante, os moradores locais cultivam muitas flores e nos receberam com muito carinho. Contei que era de Chapecó e eles já nos convidaram para sentar, trouxeram frutas, nos acolheram. Eu não conseguia nem falar, fiquei emocionada com tudo isso – conta irmã Rosangela.

A missionária relatou a visita em seu perfil no Facebook e destacou o encontro com Johan Ramirez, de 15 anos, que ajudou as equipes de resgate a localizarem os destroços do avião. O jovem mora na aldeia de Pantalio, há dez minutos do local onde ocorreu o acidente, e ficou conhecido como “menino-anjo”.

- Eu perguntei a ele como se sente por ter ajudado a salvar vidas e ele respondeu que faria isso por qualquer ser humano. Ele tem algo inspirador, passa muita tranquilidade e muita paz. Dá para perceber que tem algo especial, uma luz divina, nos emocionava ao falar, realmente parece um anjo colocado neste local entre as flores – comenta a irmã franciscana.

Ainda segundo irmã Rosangela, Johan havia recebido uma carta escrita em português para visitar Chapecó na próxima semana e pediu ajuda para entender o que estava escrito.

- Um coral de Medellín vai para Chapecó na semana que vem e o Johan foi convidado para ir também. Quando nós chegamos ele disse que tinha recebido um convite em português e pediu ajuda para ler. Na carta dizia “Por favor, faça chegar ao anjo” e ele ficou impressionado que Chapecó veja ele como um anjo. Ele disse que vai nos visitar – finaliza irmã Rosangela.

(Fonte: Tudo Sobre Xanxerê)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Chapecó.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar