Comunidade, Economia, Geral, Habitação - 14 Abr 2015 15:16

Com aumento na tarifa, valor da conta de energia assusta chapecoenses

Celesc prevê novo acréscimo em agosto
Por: Andressa Nascimento
 
Com aumento na tarifa, valor da conta de energia assusta chapecoenses Conta de energia está bem mais alta (foto: arquivo/Tudo Sobre Chapecó)

Consumidores de Chapecó e de cidades da região levaram um susto ao receberam as contas de energia neste mês. O aumento da tarifa anunciado pelo Governo Federal e o início da cobrança pelo sistema de bandeiras fez com que o gasto total da conta fosse bem acima da média anterior, na maior parte das residências.

Uma consumidora chapecoense, que não quis se identificar, entrevistada pela equipe do TUDOSOBRECHAPECO.net, teve um acréscimo de R$ 68 na conta do mês de abril, em relação ao mês de março. A conta, que antes era de R$ 165 passou a custar R$ 233 neste mês.

- Moramos apenas eu e meu marido e tivemos um susto ao receber a conta. Imagina o que aconteceu com a conta das famílias que tem quatro pessoas – comenta a consumidora.

Acréscimos invisíveis
Para evitar os ‘sustos’, o Gerente da Celesc em Chapecó, Aderbal Pedroso disse que é preciso observar os números que não se veem, mas que estão embutidos na conta de energia.

- O Governo fala do aumento da tarifa e do uso das bandeiras, mas as pessoas esquecem de que em cima desses números ainda há o imposto. Ou seja, se o consumidor quer diminuir a conta no final do mês vai ter de economizar energia – afirma Aderbal.

Contas do mês de março e abril da consumidora Chapecoense (fotos: arquivo pessoal)Contas do mês de março e abril da consumidora Chapecoense (fotos: arquivo pessoal)

Em Chapecó, o aumento médio de energia foi de 22,8%, ou seja, uma família que gastava R$ 100 de energia mensal, paga hoje, no mínimo, R$ 122 pelo menos consumo – isso sem contar os impostos. O aumento foi definido pelo Governo Federal, com base no consumo médio. No nordeste o consumo por habitante é de 70 quilowatts, já no sul o número sobe para 300 quilowatts por habitante.

Além disso, é preciso estar de olho no sistema de bandeiras utilizado pelo Governo para indicar o aumento no custo da produção energética.

Bandeira Verde significa que a produção de energia através das hidroelétricas está normal; a Bandeira Amarela indica que apenas as hidroelétricas não estão dando conta e que é necessário acionar outros meios de produção; a Bandeira Vermelha mostra que termelétricas e até mesmo compra de energia de outros países estão acontecendo para suprir a carência energética brasileira.

- A questão é que a o Sistema Energético Brasileiro é interligado, ou seja, a energia que é produzida aqui é enviada para todo o país. Ou seja, de uma forma ou outra a falta de água em São Paulo nos afeta – explica Aderbal.

E vem mais
Até agora, as concessionárias de energia repassaram os valores alterados pelo Governo Federal, visto a dificuldade na produção de energia. Aderbal explica que para os catarinenses atendidos pela Celesc em agosto haverá uma nova correção tarifária, feita, desta vez, pela própria companhia.

- O valor é estipulado também pelo Governo Federal, mas em cima dos gastos de produção e distribuição informados pela Celesc – confirma.

Consumidores que se sentirem lesados podem procurar a Celesc para esclarecimentos. Para o consumidor que não quiser levar um ‘choque’ com a chegada da conta de energia, é hora de tirar os aparelhos do stand-bye, desligar os plugs da tomada e repensar a forma de consumo.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Chapecó.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar