Por: Quirino Ribeiro
Visualizações: 258
Reprodução da coluna publicada no Jornal Sul Brasil de Chapecó

ALTERNATIVAS PÓS LAVA JATO

Negócios - 17/05/2017

A Lava Jato está colocando a nu o verdadeiro Brasil e nos têm deixado atônitos à procura de um novo caminho. Faz tempo que sabíamos que algo de errado acontecia no mundo político, mas o que surpreendeu foi o volume e a habitualidade das coisas.

TV GLOBO
Recentemente assisti a um programa que achei oportuno para o momento, uma vez que mostra diferenças que ocorrem entre o Brasil e a Dinamarca - considerado o país mais honesto do mundo. Para se ter uma ideia, enquanto na Dinamarca uma secretária serve 4 parlamentares, aqui no Brasil cada parlamentar pode ter 25 pessoas como funcionários. Além disto, o parlamentar brasileiro tem um monte de outras mordomias como: reembolso de passagens aéreas, alimentação, táxi... mais ajudas disto e daquilo.

NA DINAMARCA
O privilégio do parlamentar é poder andar de graça no bondinho da cidade e levar uma bicicleta a tiracolo para usar quando precisar. E o dinamarquês reclama deste privilégio, pois acha que como o parlamentar é um "representante" do povo, tem que dar o "exemplo" em tudo e fazer a mesma coisa que o povo faz - como pagar o bondinho de seu próprio bolso.

CORRUPÇÃO
Ao nível brasileiro nem pensar! Têm apenas algumas coisinhas aqui e ali, mas nada muito grave e constante. Falaram que existe pouca coisa a reclamar, pois têm um bom nível de vida e com pouca desigualdade - onde um pedreiro pode ganhar quase igual a um parlamentar.

IMPRENSA LIVRE
Cumpre seu papel ao fiscalizar e cobrar as ações dos políticos, e acham que o principal é que as coisas são feitas com seriedade e transparência, visando sempre o bem comum do povo, uma vez que ele é o soberano da nação. Uma frase marcante do pensamento dinamarquês foi dita por uma brasileira que mora lá: "Os políticos não estão acima da sociedade e sim a serviço dela".

SIMPLES COMPARAÇÃO
Transformar de repente o Brasil numa Dinamarca é difícil, uma vez que somos um país bem maior e muito mais diversificado e complexo, mas ai está um exemplo a ser mirado. Sem os gastos absurdos que aqui acontecem e sem nossa corrupção gigantesca, associada com a transparência e a cobrança constante da população ajudada pela imprensa livre, estaria pavimentado o modo para se chegar mais próximo da igualdade e felicidade dinamarquesa. Pra essa correção de rumo, faltaria mudar algumas regras constitucionais e ficarmos mais atentos ao escolher os políticos para nos representar.

COMO ATINGIR ISTO?
O primeiro passo é o povo se mobilizar e exigir uma "Constituinte" para mudar nossa constituição, procurando fazer a correção de rumo. Para que a constituinte tenha alguma chance de vingar, ela deve ser eleita pela população com poderes soberanos e exclusiva para este fim.

UMA CONSTITUINTE
Com os parlamentares atuais seria bem duvidosa, uma vez que boa parte deles já está contaminada pelos vícios do sistema, além de que já mostraram que gostam mesmo de legislar em causa própria. Este seria um caminho que vejo promissor. O outro é cruzarmos os braços e ficarmos assistindo o que vão fazer por nós.

“Sou responsável pelo que eu falo, não pelo que você entende”. (autor desconhecido)

Mais posts do autor
Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
este post

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Chapecó.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Opiniões expressas nos blogs e colunas por meio de suas publicações são de exclusiva responsabilidade do autor, não passam por qualquer controle de edição, editoração ou conteúdo e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Chapecó.

Blogueiros & Colunistas

Voltar